18 dezembro 2017

[Especial Literário] Sentimentos de uma Leitora




Quando terminamos de ler um livro nos deparamos, invariavelmente, com alguns sentimentos e impressões, condicionados a qualidade do trabalho em questão e a tudo aquilo que o texto pôde transmitir.


Na ocasião da obra ter decepcionado, não haverá dificuldade alguma em se desprender da história - na verdade é até um alívio chegar ao fim. Já quando a história envolve, emociona e aflora sentimentos tão particulares, o fim se faz como uma separação de alguém querido, que parte para não mais voltar. O que pode nos levar a uma brava ressaca literária. Quem nunca?


Superada esta etapa de desapego, uma outra dificuldade pode se instalar: a escolha do próximo título. Ninguém quer ler um livro ruim, chato; o caso é que essa avaliação é muito pessoal e depende do gosto de cada um.


Quem nunca ficou diante de sua estante tentando escolher a próxima leitura? Eu já e nem sei dizer quantas vezes já. É o eterno dilema do próximo livro. 

14 dezembro 2017

[Resenha] A Cor do Leite


A COR DO LEITE
Autora: Nell Leyshon
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2014
Páginas: 208 
Skoob


Sinopse: Em 1831, uma menina de 15 anos decide escrever a própria história. Mary tem a língua afiada, cabelos da cor do leite, tão brancos quanto sua pele, e leva uma vida dura, trabalhando com suas três irmãs na fazenda da família. Seu pai é um homem severo, que se importa apenas com o lucro das plantações. contudo, quando é enviada, contra a sua vontade, ao presbitério para cuidar da esposa do pastor, Mary comprovará que a vida podia ainda ser pior.
Sem o direito de tomar as decisões sobre sua vida, Mary tem urgência em narrar a verdade sobre sua história, mas o tempo é escasso e tudo que lhe importa é que o leitor saiba os motivos de suas atitudes.
A Cor do Leite apresenta a narrativa desesperada de uma menina ingênua e desesperançosa, mas extremamente perspicaz e prática. Escrito em primeira pessoa e todo em letras minúsculas, o texto possui estrutura típica de quem ainda não tem o pleno controle da linguagem. a jovem narradora intercala a história com suas opiniões, considerados por alguns críticos os trechos mais angustiantes da obra.



O ano é 1831 e a história é contada pela própria protagonista: Mary, uma menina de 15 anos, em numa época em que as mulheres não tinham valor algum.

Mary é a mais nova de quarto irmãs; tem uma perna deficiente e os cabelos da cor do leite. O pai, não conformado por todas terem nascido mulheres, as obrigam a trabalhar na roça de sol a sol, sem nenhuma folga ou descanso. Sendo muitas vezes bastante severo nos castigos físicos.





Apesar de todas as dificuldades e a pouca idade, Mary é dona de uma personalidade forte e de uma língua afiada. Diante de acontecimentos marcantes ela resolve contar sua história para que todos tenham conhecimento.

"esse é o meu livro e eu estou escrevendo ele com as minhas próprias mãos." 


10 dezembro 2017

[Resenha] O Discurso Secreto


O DISCURSO SECRETO
Autor: Tom Rob Smith
Editora: Record
Ano: 2010
Páginas: 433
Skoob


SinopseA obra é uma sequência do sucesso "Criança 44".
União Soviética, 1956: Stálin está morto. Com isso, o violento regime começa a perder força, deixando para trás uma sociedade em que a polícia é o criminoso e bandidos são inocentes. Um manifesto secreto, escrito pelo sucessor do ditador, Khruschev, circula entre o povo. A mensagem é clara: Stálin foi um tirano e um assassino. A promessa, a União Soviética mudará.
Na União Soviética pós-Stálin, um discurso de seu sucessor Nikita Kruschov marca o período em que as brutalidades do regime stalinista começam a ser amplamente condenadas. Liev Demidov, ex-agente de segurança do Estado, vê-se confrontando pelos erros de seu passado. De suas próprias filhas adotivas, cujos pais biológicos foram mortos por ordem de Liev, à líder de gangue Fraera, cujo marido foi aprisionado em um gulag, personagens afetados por suas atividades profissionais vêm obrigá-lo a prestar contas sobre o seu envolvimento político.





O Discurso Secreto é o segundo livro da trilogia de Tom Rob Smith, num misto de ficção e história sobre o período em que Joseph Stálin esteve a frente da União Soviética e as mudanças latentes após sua morte. O autor nos coloca em uma atmosfera de tensão e suspense.






Liev Demidov e sua esposa, Raíssa Demidova, enfrentam severos desafios e sofrimentos para tentar construir uma família minimamente normal. Liev, ainda assombrado por suas ações do passado, onde aplicava rigorosamente as medidas de um Estado totalitário sobre os cidadãos inocentes, impingindo a cultura da desconfiança e da tortura e colaborando para a criação de uma sociedade paranoica, segue em busca de redenção com uma nova postura de vida, mais atento e perceptivo ao sofrimento alheio.



04 dezembro 2017

[Tag] 10 Perguntas Literárias



Olá pessoal!

Hoje é dia de Tag aqui no blog e a que eu escolhi para fazer é a das 10 Perguntas Literárias.

Vamos lá!



1 - Qual a capa mais bonita da sua estante?



Anna Kariênina! Acho lindas as capas dos livros de Liev Tolstói pela Cosac Naify, tipo fotografia antiga.






2 - Se pudesse trazer um personagem para sua realidade, qual seria?



Seria Mr. Darcy , de Orgulho e Preconceito!




© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo