[Resenha] Humilhados e Ofendidos

HUMILHADOS E OFENDIDOS

Autor: Fiódor Dostoiévski | Ano: 2017 | Páginas: 416
Editora: Martin Claret | Skoob


Ivan Petróvitch, ou Vânia, é um jovem escritor em declínio. Órfão, ele cresceu na casa dos Ikhmiêniev junto de Natacha, filha do casal e por quem nutre uma paixão. 

Enquanto andava pelas ruas de São Peterburgo a procura de um novo apartamento, Vânia depara com uma cena que chama sua atenção.  Uma dupla singular entrando em um bar. Um velho, esquisito e desajeitado, aparentando ter uns cem anos e seu cachorro esquelético, que parecia mais velho ainda. 

Vânia acaba por descobrir que a dupla sempre aparecia nesse bar. O velho ficava sentado a uma mesa, olhar fixo e sem pedir nada. Só ficava a observar, sem trocar uma palavra sequer com alguém. E foi assim que o rapaz conhece Jeremiah Smith, o velho.

Parecia que aqueles dois seres jaziam o dia inteiro mortos em algum lugar e, mal o sol se punha, ressuscitavam de súbito com a única finalidade de ir à confeitaria de Miller e de cumprir lá um misterioso dever ignorado por todo mundo.

Posso dizer que o livro já começa com uma boa carga emocional de sofrimento, com a figura do velho que emociona Vânia e logo depois a sua morte. O que leva o jovem a ficar com o apartamento que era de Jeremiah e onde acaba conhecendo sua neta, Nelly, que será responsável por muitas mudanças na vida do escritor.


Ao voltar um pouquinho no tempo, Vânia conta como se apaixonou por Natacha e como planejavam ficar juntos. O que acontece é que a família da moça pede que seja esperado o sucesso do rapaz como escritor para oficializar o compromisso e nesse meio tempo, Natacha acaba por se apaixonar por Aliócha, filho do príncipe Valkósvki, com quem seu pai travava uma batalha judicial.

Tenho plena certeza de que toda a alma do velho doía, naquele momento, e revolvia-se de ver as lágrimas e o medo da pobre esposa; tenho certeza de que ele padecia muito mais do que ela.

Determinada em sua escolha e contra todos, Natacha foge para ficar com Aliócha. Contando somente com o apoio de Vânia, mesmo esse odiando seu pretendente.

Assim a obra é dividida em quatro partes que unem as histórias de um escritor, um príncipe e uma família que encontrasse em uma condição de degradação.


Humilhados e Ofendidos é o tipo de romance que nos arrebata logo nas primeiras páginas. Dostoiévski nos apresenta uma história de amor sem deixar de lado uma grande tensão psicológica. 

Os personagens são muito bem desenvolvidos com suas histórias densas e com muita profundidade de sentimentos, prontos para amar e para odiar, além do mistério que cada um carrega consigo. As páginas vão passando e o leitor é absorvido para dentro da trama.

O autor proporciona uma tremenda crítica social através de diversas situações apresentadas e vividas pelos personagens. São indagações no que diz respeito a ganância, o abuso de poder econômico, a traição, a hipocrisia e o sofrimento moral e social dos desfavorecidos economicamente. Aliás, o sofrimento é sempre algo marcante nas obras de Fiódor. Outra característica é a religião sempre muito citada.

Essa foi uma leitura forte para mim e eu sai encantada com a maestria na escrita do autor. Único fato que senti um pouco de dificuldade foram com os nomes russos, mas nada que atrapalhe a leitura, acaba acostumando.

Uma obra muito envolvente e marcante e uma indicação mais que especial principalmente para os fãs da literatura russa.



12 comentários

  1. Deve ser um livro bastante interessante :))

    Hoje-:-Somos a base que nos eleva, somos emoção

    Bjos
    Votos de uma óptima noite.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Fê! Que super história! Não conhecia, mas vi a divulgação de vcs no Instagram e fiquei bem curiosa! As fotos estão lindíssimas, a resenha atrai a nós Leitores, assim como nos deixa com vontade de ter a obra em mãos! Parabéns! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, boa noite...

    Nessa semana (a segunda de novembro) estava a ler o eterno marido, dele. Delicioso e sagaz. Perfeito para o meu atual momento.

    Humilhados e ofendidos que acho ser o melhor do autor, aborda a capacidade do ser humano em perdoar e o quanto isso custa para a nossa porção humana. Por um lado o pai da jovem a ama, porém é muito difícil perdoá-la por ter saído de casa. No entanto, a filha perdoa com facilidade o amante.

    Eu já gostei mais do gênero, confesso, hoje o leio em pequenos goles, de tempos em tempos quando retorno da prateleira em dias alternados e devidamente espaçados. rs

    bacio

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Parece ser uma história bastante complexa e emocionante. Sou doida pra ler Dostoiévski, acho que como leitora falta dar esse OK na minha lista, sabe. Achei a trama deste muito interessante e com certeza vou colocar na minha lista!

    ResponderExcluir
  5. Literatura russa é geralmente bem densa, detalhada. Essa capa bonitinha engana heheheh
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? O enredo é bem envolvente. Dá para perceber a carga emocional desde o início da resenha. Na faculdade alguns professores indicaram a obra do autor mas ainda não tive oportunidade. Mas já anotei sua indicação. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Caramba que premissa mais singular e inusitada!! Fiquei bem curiosa para fazer a leitura, aliás a trama parece ser bem complexa e profunda gosto muito desse tipo de livro.

    Parabéns pelo post

    Bjs Aruom Fênix

    Blog Leituras de Aruom

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Acredita que eu ainda não tive a oportunidade de me aventurar na leitura da literatura russa. Mas, prentendo mudar isso assim que for possível. Apesar do livro já começar com uma boa carga emocional de sofrimento e a figura do velho, gostei bastante de saber que é envolvente e marcante. Ótimo que seja uma obra especial para os fã da literatura russa. Achei o máximo poder conhecer melhor essa indicação aqui.

    ResponderExcluir
  10. Essa história parece ter uma carga emotiva bem grande. Fiquei muito curiosa para ler e saber mais sobre os personagens, que parecem ser incríveis. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  11. Nunca tinha visto esse livro, já quero fazer essa leitura assim que possível, o velho e o cachorro me deixou curiosa, além do mais livros que apresentam críticas, para mim são muito bem vindos.

    ResponderExcluir
  12. Desejo demais ler uma obra desse escritor. Estou programando a leitura da obra "Os Irmãos Karamazov" para ano que vem e afora me interessei tbm nessa obra que postou, pois gostei demais da premissa que ele possui. Anotada a dica desse livro na minha lista de desejados tbm. Parabéns pela bela resenha.

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!