[Resenha] Barcelona não é Espanha

BARCELONA NÃO É ESPANHA

Autor: Márcio Menezes | Ano: 2018 | Páginas: 226
Editora: Rubra | Skoob | Comprar
Cedido em parceria com a Oasys Cultural



Olá, pessoal! Esse é mais um livro da parceria do Conduta Literária com a Oasys Cultural. É um romance do escritor Márcio Menezes, relatando as mais variadas e inusitadas experiências de um carioca em Barcelona. 

O protagonista viajou à Espanha com sua noiva Antônia em busca de novas oportunidades no meio artístico; ela já havia dirigido um programa de televisão no Brasil e desejava se aprimorar, bem como trabalhar e vivenciar a cultura de Barcelona. 

Tudo parecia muito romântico e inspirador. A Europa seduzindo e inspirando novos sonhos, novas aspirações. No entanto seus recursos eram limitados e grana estava acabando muito antes de qualquer plano se concretizar. 

O tempo em Barcelona os havia transformado em imigrantes ilegais e nenhum trabalho muito descente estaria ao seu alcance. Antônia já estava desanimada e muito reticente em assumir uma vaga de garçonete numa lanchonete: era algo impensável poucos meses atrás. E bem menos aprazível era a atividade remunerada do carioca, um iluminador de show de sexo explícito. Não era algo tão difícil executar a função, já que bastava mudar a cor das luzes em momentos específicos. Até mesmo esse subemprego lhe foi tirado, isso no dia em que a polícia de imigração fez uma batida na tal boate. 



A situação de miséria só se acentuava, mas ele havia recebido um convite para uma exposição de um pintor argentino. Achou que seria uma oportunidade de distração num momento de desespero. A relação com Antônia estava ruindo, já que ela estava determinada a sair do país e ele não. Ele já estava se envolvendo com outra mulher e se distanciando da noiva. 

Na tal exposição, o argentino o aliciou para um trabalho nada legalizado, para o qual ele ficou de pensar. A proposta era retirar pinturas famosas que estavam em depósitos de museus. Elas seriam copiadas e devolvidas logo depois. 

Para quem estava sem um centavo no bolso e era invisível para o país, sendo ilegal, poderia ser uma ótima oportunidade de se capitalizar e dar prosseguimento aos planos de viver na cidade, afinal ele receberia dez mil Euros pelo “traslado” da obra. 

Não bastasse suas ilegalidades, como morador de Barcelona e ladrão temporário de pinturas, também teria que lidar com uma nova ameaça. O noivo da mulher com quem estava saindo havia se suicidado ao descobrir a traição da mulher que amava. O irmão dele, inconformado com o fato, passou a ameaçar sua vida: ele era um policial violento e desequilibrado. 

O brasileiro foi morar em uma ocupação de sem tetos, para se tornar mais indigente e menos rastreável, vivendo novas experiências enquanto “trabalhava” com os quadros. Mas as coisas poderiam ficar ruins novamente, pois o prédio pegaria fogo e o dinheiro que ganhou nos últimos tempos estava todo lá. 



A história parece até meio difícil de ter ocorrido, pois são tantas situações estranhas pelas quais o protagonista passa que fiquei surpreso em saber, ao final, que se tratava de um cara que o autor realmente conheceu na cidade de Barcelona. 

O enredo prende bem a nossa atenção, com um final surpreendente, bem daquele ditado que diz “há males que vêm para o bem”. Não me recordo de o autor ter dado um nome ao protagonista, mas acredito que tenha sido para preservá-lo no anonimato, por suas atividades pouco ortodoxas e as várias mulheres com quem se envolveu. 

No mais, dou os parabéns ao autor pela história envolvente e tão bem contada.


Um comentário

  1. Boa tarde. Um livro que parece interessante. Obrigada pela publicação :))

    Do nosso amigo Gil António, com : Teu corpo, meu precipício de embaraços

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta - Feira

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!