14 outubro 2018

[Resenha] Menina - Mitacuña

MENINA - MITACUÑA

Autor: Paulo Stucchi | Ano: 2017 | Páginas: 256
Editora: Schoba | Skoob
E-book cedido para leitura coletiva com o autor


Menina - Mitacuña, de autoria de Paulo Stucchi retrata a dura realidade de um dos períodos mais cruéis e sangrentos da história na América do Sul, A Guerra do Paraguai.

Ocorrida entre 1864 e 1870, o conflito armado foi travado entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta pelo Brasil, Argentina e Uruguai.

Na história temos Negro João,  que desertou do Exército Imperial Brasileiro, e está em fuga com uma pequena índia. 

Negro João, antes da guerra,  era escravo de uma fazenda em Petrópolis, onde vivia com sua mãe e onde aprendeu a atirar e a cavalgar muito bem. Após uma tentativa de assassinato, ele nunca mais falou.

Por outro lado temos María, uma indiazinha com tão pouca idade, que teve toda sua família dizimada pelo conflito. 

"Uma vida dolorosa que, assim como a mãe, María aprendera a levar em silêncio. Talvez por isso, agora, a amizade muda entre ela e Negro João era tão reconfortante. Ela compreendia a linguagem do silêncio e do olhar. Nada precisava ser dito."

Dentre os personagens, encontra-se Cabo Reis, que foi ferido por Negro João e agora, cego em seu ódio, quer por todo custo vingança.



A história se passa intercalando o presente, durante a fuga de Negro João e a caça de Cabo Reis. E com flashbacks do passado, mostrando os personagens, antes da guerra.

Essa foi, sem sombra de dúvida, uma das leituras mais emocionante que li esse ano. O pano de fundo da guerra, milhares de famílias dizimadas e ao mesmo tempo, em meio a este cenário, o nascer da amizade de duas pessoas tão diferentes entre si e tão carentes desse afeto.

"E essa prisão parecia ser mais cruel conforme a resistência inútil dos paraguaios aumentava. E, diante dessa resistência, soldados e oficiais do exército imperial mostravam-se cada vez mais cansados e intolerantes."

As cenas do conflito são muito verdadeiras e cruas, o autor passou para o leitor, toda tensão dessa dura realidade da guerra. Deixo como destaque, sobretudo, a Batalha de Acosta Ñu, uma das partes mais tristes e emocionantes do livro, onde mais de 3500 jovens perderam suas vidas.



Vale ressaltar também, a excelente pesquisa do Paulo para escrever todo esse cenário, é nítido todo cuidado que ele teve durante o desenvolvimento do livro.

Como falei, eu me emocionei muito durante a leitura. Tanto pelo cenário da guerra, quanto pela amizade entre Negro João e María. O final é de arrasar mais ainda.

E por fim, ainda temos algumas notas do autor, onde ele fala um pouco sobre a experiência de escrever o Menina Mitacuña. Eu fiquei bem emocionada em alguns trechos.

Termino essa resenha dizendo o quanto essa foi uma leitura maravilhosa e repleta de sentimentos. Recomendo para todos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo