22 outubro 2018

[Resenha] Caixa de Pássaros

CAIXA DE PÁSSAROS

Autor: Josh Malerman | Ano: 2015 | Páginas: 272
Editora: Intrínseca | Skoob


Olá!

Hoje trago a resenha de Caixa de Pássaros, de Josh Malerman. Há muito tempo venho ensaiando para ler esse livro, bem curiosa pelas diversas resenhas e como esse mês participei de duas maratonas, eu o inclui em minhas leituras. 

A história traz como cenário uma epidemia global, as pessoas estão simplesmente enlouquecendo. Os primeiros casos aparecem na Rússia e de lá se alastram para o mundo, aterrorizando todos.

O que  ocorre é que tudo indica que a pessoa vê algo e enlouquece diante de tanto pavor. Com isso acabam se suicidando das formas mais horrendas possíveis. E o pior, não há a mínima explicação para o que se é visto antes.

Diante desse quadro assustador, as pessoas começam a estocar comida, tampar as portas e janelas com cobertores e para prevenir mais ainda, passam a andar vendadas. Mas, por quanto tempo, um ser humano consegue viver nessas condições?


E o que mais assusta você? As criaturas ou você mesma, quando as lembranças de um milhão de cores e imagens inundarem sua mente? O que mais assusta você?


A coisa se alastra cada vez mais e mais pessoas vão morrendo, o caos se instala por todas as partes. Os sobreviventes sentem muito medo, não sabem o que ocorre, o que é visto e nem quando isso vai parar. Se é que um dia vai parar?

Já imaginaram um cenário como este?



Malorie é nossa personagem principal e é sob o seu ponto de vista que vamos ver o mundo ruir. 

Logo no início de tudo, a encontramos morando com sua irmã e grávida. Não demora muito,  Malorie fica sozinha e vai ter que lutar por sua vida e de seu bebê. 

A narrativa intercala o presente e o passado. No presente, cinco anos após o começo do surto, Malorie com seus dois filhos resolve enfrentar o desconhecido em busca de um lugar seguro. Assim, em um barco, eles tentar atravessar o rio. Uma viagem totalmente no escuro, de vendas, confiando somente nos sons. 

"Enfim, depois de quatro anos de espera e treino, tentando encontrar coragem para ir embora, ela rema para longe do cais, da margem e da casa que protegeu a ela e aos filhos pelo que pareceu uma vida inteira".

E o passado mostra desde quando as coisas começaram a ocorrer, o que houve com Malorie depois disso, até o momento em que ela tem dá a luz. 

A leitura flui rápida e o ritmo é constante. O clima é bastante tenso diante da situação dos personagens, pois não ficamos somente na parte das criaturas, no que assusta. Mas, dá toda dimensão das pessoas, do ser humano diante de um cenário tão alucinante como esse.

O que deixa o leitor preso é a tensão, o medo do que não se sabe, do que não se vê. Os que ainda tentam de alguma forma sobreviver a esse caos se comportam das mais variáveis formas, é o ser diante do perigo, do fim.


“Em um mundo de recursos escassos, olhos vendados e um terror persistente, encarar os próprios medos é apenas o início da viagem.”


A gente vive cada momento com Malorie e a parte que ela sai com os filhos, de olhos vendados é angustiante demais, não tive como não me colocar nessa situação. As crianças que nunca viram a luz do dia. É desesperador.


Caixa de Pássaros é alucinante, aflitivo e eu sinceramente, não sei se conseguiria viver nas trevas. Fugir de algo que não teria a mínima ideia do que fosse, o desconhecido. E ainda, se ter qualquer perspectiva de nada.

O livro foi uma experiência diferente para mim e mexeu totalmente com meus nervos e medos também. A única ressalva que faço é uma explicação melhor a respeito das criaturas, do que ocorria. No entanto, é também uma boa sacada do autor, o não saber o que temer. É o diferencial!

"O homem é a criatura que ele teme".

Esperei por algo que não chegou, algo que eu pensava ou imaginava, mas isso não quer dizer que o final foi ruim. Porque antes de tudo, é preciso entender o principal objetivo do autor. Na verdade, eu fiquei foi meio aflita com aquele fim. Não posso falar, leiam.

Barulhos de pássaros, nunca mais serão a mesma coisa para mim.


3 comentários:

  1. Interessante:))

    Do nosso amigo Gil António: Iluminas-me em Luz de Rosa Vermelha

    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda- Feira

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Quando li esse livro pela primeira vez, fiquei MALUCA com aquele final. E depois reli pra relembrar a história e me preparar pro filme que tá chegando aí e mais uma vez deu pra me surpreender com toda a trama *-* So espero que o filme faca jus ao livro...
    Parabéns pela resenha
    Beijinhos e boa semana
    Isabelle - https://blogalgodotipo.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo