19 setembro 2018

[Blogagem Coletiva] Minha Autora Favorita

Olá!!!

Hoje é dia de Blogagem Coletiva, pelo grupo Interative-se, do qual participo!

E o tema é "Meu Autor (a) Favorito (a)" e mais uma vez, tive dificuldades em minha escolha, pois não tenho somente um favorito. Porém, como só podia ser um, para esse post escolhi minha querida Clarice Lispector!




Chaya Pinkhasovna Lispetor nasceu em 10 de dezembro de 1920, na cidade de Tchetchelnik, Ucrânia. 

Descendente de judeus, seus pais Pinkhas Lispector e Mania Kringold Lispector, chegaram ao Brasil em março de 1926, fugindo do antissemitismo na Rússia durante a Guerra Civil. Fixaram residência em Maceió, onde morava a irmã de sua mãe, e por iniciativa do pai, todos mudaram de nome. E Chaya, passou a ser Clarice.


Após a morte de seu pai, em 1940, Clarice começou a carreira de jornalista e nos anos seguintes trabalhou como redatora e repórter na Agência Nacional, no Correio da Manhã e no Diário da Noite.

Em 1943, casou-se com o diplomata Maury Gurgel Valente, com que teria dois filhos: Pedro e Paulo. O primogênito foi diagnosticado com esquizofrenia.

Em 1946 publicou "O Lustre" e em 1949, "A Cidade Sitiada". Dedicou-se a escrever contos e em 1952 publicou "Alguns Contos". Em 1954, "Perto do Coração Selvagem" é publicado em francês.

Devido a profissão do marido, Clarice viveu em vários países do mundo e o relacionamento durou até 1959, quando Clarice retorna para o Rio com os filhos. Logo começa a trabalhar no Jornal Correio da Manhã, assumindo a coluna "Correio Feminino". Publicou várias outras obras durante sua vida. 

A escritora foi naturalizada brasileira e se declarava pernambucana. Faleceu em 9 de dezembro de 1977, um dia antes de seu aniversário.


"Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome."



Sou uma apaixonada por Clarice Lispector! Conheci sua escrita através da indicação de uma amiga com o livro "A Hora da Estrela" e desde então, não parei mais de ler.

Mas, confesso que algumas obras não são fáceis de ler e entender, a escritora é bastante peculiar e inovadora e é preciso entrar em sua essência, é preciso se aquecer junto com Clarice e sentir a história, os personagens, ou melhor, fazer parte de tudo.

E garanto, que aqueles que se dão a chance de conhecer as obras de Clarice vivem experiências extraordinárias. A escritora é muito habilidosa em retratar fatos do cotidiano e da essência feminina. Ela vai fundo no íntimo, você descobre o mundo, outras vidas e, principalmente, se conhece melhor.

Assim é Clarice para mim!

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."






Curiosidades:


↪ Clarice se apaixonou por quem viria a ser seu grande amigo confidente, o escritor Lúcio Cardoso (1912-1968), contudo, não ficaram juntos porque Lúcio era homossexual.


↪ Um episódio marcante de sua vida foi o incêndio que ocorreu em sua casa, em 1966, provocado por um cigarro. Como consequência, ficou hospitalizada durantes meses e quase teve de amputar sua mão.



"Eu tenho medos bobos e coragens absurdas."








5 comentários:

  1. Publicação maravilhosa :))

    Hoje » Fogo que flagra em lamuria

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta-Feira.

    ResponderExcluir
  2. Oi Fê
    Adorei sua escolha! É difícil optar ne? Também achei...
    Clarice me lembra você, pois sei que gosta muito dela.
    Adorei o post e gostei das curiosidades, não sabia delas
    Seus livros estão na minha lista
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu me lembro que meses após a minha chegada a São Paulo, passei a ler Clarice Lispector com uma voracidade incrivel. Adorava o estilo. Hoje, me distanciei um bocadito da autora, mas voltei a ler os contos (que são incríveis) para a Plural de agosto que se chamou 'clandestina'. rs

    ResponderExcluir
  4. adoro as obras da clarice lispector voce trouxe varias curiosidades bacana sobre ela que desconhecia

    ResponderExcluir
  5. Oi Fê!
    Eu adorei a sua escolha ser a Clarice! Eu sempre vejo posts por aqui de obras dela e até comprei um e-book dessa edição de contos por ver tanto aqui e querer conhecer mais da autora, especialmente os contos. A Hora da Estrela eu li faz anos, na época da escola. Minha irmã é quem tinha que ler, mas acabou que eu li também porque fiquei curiosa com o livro! Foi uma ótima leitura na época!
    xoxo

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo