05 abril 2018

Um pouco de... Ariano Suassuna



Ave Musa incandescente

do deserto do Sertão!
Forje, no Sol do meu Sangue,
o Trono do meu clarão:
cante as Pedras encantadas
e a Catedral Soterrada,
Castelo deste meu Chão!


Nobres Damas e Senhores
ouçam meu Canto espantoso:
a doida Desaventura
de Sinésio, O Alumioso,
o Cetro e sua centelha
na Bandeira aurivermelha
do meu Sonho perigoso!


Ariano Suassuna, em “Romance d’A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta”. 8ª ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.











Ariano Vilar Suassuna (16 de junho de 1927 - 23 de julho de 2014) foi um dramaturgo, romancista, ensaísta, poeta e professor brasileiro.
Idealizador do Movimento Armorial e autor das obras Auto da Compadecida e O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, foi um preeminente defensor da cultura do Nordeste do Brasil.

2 comentários:

  1. Que linda homenagem ao Ariano Suassuna!
    Adorei o post e conhecer esta poesia
    Já coloquei este livro na minha lista
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que lembrança maravilhosa! Ariano Suassuna é um dos nossos maiores autores! Dele já li O Santo e a Porca, uma grande obra que tem destaque em nossa literatura.

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo