22 abril 2018

[Resenha] Encarnação Involuntária

Olá!!!

Vamos clariçar?

O conto do mês pelo Projeto Clarice-se é Encarnação Involuntária. E hoje é sobre ele que vou falar.




Neste conto nossa narradora-personagem tem por hábito observar e "encarnar" em pessoas que nunca viu pelo prazer de conhecê-las.

"Preciso é prestar atenção para não encarnar numa vida perigosa e atraente, e que por isso mesmo eu não queira o retorno a mim mesmo."

Um dia, em um avião, decide encarnar na comissária e mesmo após a viagem, passa alguns dias em seu papel na vida de uma outra pessoa.


Nossa personagem chega a cogitar a hipótese de que, afinal das contas, pouco ficou em sua própria vida, vivendo a vida de outras.

Mais uma vez, Clarice nos traz um cenário que muitas vezes podemos carregar para nossas próprias vivências.

"Já sei que só daí a dias conseguirei recomeçar enfim integralmente a minha própria vida. Que, quem sabe, talvez nunca tenha sido própria, se não no momento de nascer, e o resto tenha sido encarnações."

Este pequeno conto, nos faz pensar nas possíveis e breves "encarnações" que ocorrem de forma involuntária e natural em nosso dia a dia, com pessoas próximas e até mesmo, fatos corriqueiros.

Quem em sua vida, infantil ou adulta, nunca se imaginou na vida de outrem? Quem nunca viveu uma ilusão ou um sonho, saindo um pouquinho que seja, de sua realidade.

Esse conto nos faz justamente pensar e refletir sobre esses momentos e mais uma vez, estar aberto para compreender este destrinchar do ser humano.

Ler Clarice sempre é uma experiência maravilhosa, nunca sabemos o que podemos esperar e as respostas podem ser as mais diversas. Mas, o certo é que nunca saímos os mesmos!

Encarnação Involuntária está incluído na obra Felicidade Clandestina, de 1971. E o conto completo encontra-se aqui.

Espero que tenham gostado e até o próximo mês!



3 comentários:

  1. Nossa, eu sou super fã de Clarice Lispector, então sou meio suspeita pra comentar sobre sua postagem, rs. Ela é simplesmente maravilhosa. Toda vez que leio e releio, sinto sensações diferentes e sempre saio mudada, pensativa, me sentindo mais humana, sabendo que teve mais alguém que entende as pequenas percepções da vida. Esse conto é realmente muito bom! Parabéns pela escolha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Obrigada!!
      Clarice é maravilhosa mesmo e eu também tenho essas sensações diferentes a cada releitura.

      Excluir
  2. Não conhecia esse livro da Clarice, mas parece ser algo que nos faz refletir sobre nossa existência, o que é muito interessante!

    Adorei sua resenha!

    Inclusive, indiquei seu post nos Links do Mês lá no blog!

    Beijos
    Inverno de 1996

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo