17 março 2018

[Resenha] Oliver Twist

OLIVER TWIST

Autor: Charles Dickens | Ano: 2012 | Páginas: 288
Editora: Melhoramentos | Adicionar ao Skoob


Assim que li a sinopse de Oliver Twist, me veio o desejo de conhecer toda a história. E não titubeei em colocá-lo como próxima leitura.

A ideia de um garoto que, já do berço, enfrentaria injustiças, e a mercê das ruas teria de lidar com tantas dificuldades era o prenúncio de uma trama emocionante. Isso sem nem mesmo levar em consideração aquele que escreveu – Charles Dickens.

O nascimento de Oliver já se deu de maneira conturbada e impessoal; sua mãe fragilizada, moral e fisicamente, teve de contar com a suposta caridade de uma instituição religiosa para abrigá-la até o parto.

“Por muito tempo depois de ter chegado a este mundo pelas mãos do médico da paróquia, permaneceu a dúvida se a criança iria sobreviver, pois houve dificuldade para induzir Oliver Twist a respirar por si mesmo. Mas Oliver acabou respirando, espirrando e alertando para o fato de que um novo fardo estava se impondo à paróquia ao chorar mais alto do que seria esperado de um bebê.”

A criança nasce, mas a mãe sucumbe; e o pequenino Oliver de cara se vê desamparado do calor e do cuidado materno. Uma história que se inicia triste para a criança, mas que não é o começo de tudo, pois sua genitora trazia consigo a carga de outras desgraças pretéritas.



A vida de Oliver seguia na mesma toada desde o seu nascimento, com seu desenvolvimento sempre submetido à rotina de maus tratos e relegado à condição de ser menor, miserável e amaldiçoado. Fora transferido algumas vezes para instituições diferentes, conforme a conveniência do momento e das pessoas que lhe tutelavam. 

Certa vez, numa dessas transferências, e com seu otimismo natural nas aspirações de uma vida menos dura, teve que dissimular a satisfação de estar deixando o lugar infernal em que estava instalado. 

“Não foi difícil o garoto provocar lágrimas em seus próprios olhos. A fome e os maus tratos eram de grande utilidade quando se quer chorar. A senhora Mann deu lhe milhares de abraços e um pedaço de pão com manteiga para não parecer tão faminto quando chegasse ao abrigo. E o menino foi levado pelo senhor Bumble para longe daquela casa miserável, onde nunca ouviu uma palavra amiga de um olhar bondoso.”

Apesar de ter, a cada transferência suas esperanças renovadas, não menor era o sofrimento de Oliver. Vendido, explorado e sempre aviltado, era difícil compreender como sua alma não perdia a pureza e sua mente a razão. Estava gravado em seu espírito valores tão nobres que nada poderia abalar aquela conduta ilibada. 



As pequenas coisas do coração é que davam força para Oliver prosseguir, além de uma esperança inestimável. Certa vez, quando novamente buscava um novo rumo para sua vida pode, num raro momento receber as palavras mais sinceras e revigorantes que vieram de seu amigo de abrigo.

“- Sim, sim. Só vim dizer adeus para você – respondeu Oliver. - Nos veremos de novo, Dick. - Assim espero. – replicou a criança. - Adeus, amigo! Deus te abençoe! A benção dos lábios de uma criança, mas foi a primeira que Oliver tinha recebido. E jamais esqueceria aquele momento.”

Muitos são os momentos de emoção nessa história, e sofremos junto com esse garoto tão iluminado. Oliver servirá de exemplo a muitos que enveredam por comportamentos tortuosos, justificando tal conduta com qualquer pretenso sofrimento.



O garoto é a própria imagem da superação, impulsionado pela inabalável qualidade de seu caráter admirável. Charles Dickens, com essa obra, toca em feridas sociais e mostra a necessidade de se cultivar os valores capazes de construir uma sociedade mais positiva e auspiciosa. Não tem como não se emocionar!



3 comentários:

  1. Que livro lindo! A história me pareceu muito interessante, e tenho certeza que eu adoraria lê-la. Adorei sua resenha.
    Beijos. Versos da Alma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! A história é emocionante, mesmo. Muito obrigado por nos prestigiar. Um forte abraço.

      Excluir
  2. Oi Jr!
    Não li ainda, mas Oliver Twist está na minha lista ha tempos.
    Adorei sua resenha e as fotos
    Só reforçou meu desejo para ler logo este livro
    BJs

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo