07 fevereiro 2018

[Resenha] Ciranda de Pedra


CIRANDA DE PEDRA
Autora: Lygia Fagundes Telles
Editora: Rocco
Ano: 1998
Páginas: 192
Skoob


Sinopse: Um dos clássicos da literatura brasileira, Ciranda de pedra é uma incursão corajosa e sensível de Lygia Fagundes Telles a uma complexa situação familiar. Com linguagem precisa e perfeito delineamento psicológico das personagens, ela acompanha a trajetória de Virgínia, uma menina dolorosamente envolvida em mistério, rejeição, crueldade, compaixão e amor pungente. Na verdade, Lygia baseou-se em um fato real para escrever este livro. Numa de suas caminhadas a pé, passou em frente a um casarão que estava sendo demolido. Ela entrou, passeou pelos cômodos vazios e encantou-se com uma fonte cercada por anões de pedra, a mesma que descreve no livro. E imaginou os dramas que se desenrolaram naqueles jardins, as tristezas e alegrias que envolveram os antigos habitantes daquela casa. A Rocco está reeditando Ciranda de pedra com novo design gráfico e minuciosamente revisados pela própria autora. 



Olá!! 


Hoje trago para vocês a resenha de um livro que gostei muito, Ciranda de Pedra, de Lygia Fagundes Telles. 

Publicado em 1954, o romance pode ser dividido em duas partes: a primeira que retrata a infância de Virgínia, nossa protagonista; e, a segunda, em sua fase adulta. 

Virgínia, menina, vive em uma casa modesta com sua mãe, Laura, que está muito doente e intercala grandes períodos de insanidade, com alguns raros momentos de lucidez. E seu novo marido, Daniel, que também é médico da mulher. Temos ainda, a emprega Luciana, que nutre uma paixão platônica pelo patrão. 


Virgínia tem duas irmãs mais velhas, Otávia e Bruna, que moram com o pai, Natércio. As meninas são completamente diferentes da caçula.

"Devia ser bom, também, nascer passarinho. Passarinho não tem essa complicação de pai e mãe assim separados. Passarinho não fica louco nunca. Franziu a testa: ou fica? Beija-flor era um que não parecia muito certo."

E é na casa do pai, que Vírginia passa os finais de semana. Nesse ambiente também vamos encontrar alguns coleguinhas de suas irmãs, são eles Letícia, Afonso e Conrado (sua paixão). Os garotos não dão muita atenção para Virgínia, e ela os compara a uma ciranda de anões de pedra que existe no jardim da mansão, onde não é possível incluir mais ninguém, sendo um círculo fechado. 



Mas, ainda sem conhecimento de sua verdadeira história, a menina sonha em ter uma vida como a das irmãs, tendo todo conforto na mansão do pai. Mesmo este sendo um tanto distante e de não demonstrar afeto algum.

"Como sempre, tudo o que fazia por ela evidenciava um cunho tão marcante de dever que era mesmo impossível mascará-lo com o mais remoto sentimento de afeição."

Quando Laura piora e logo após vem a falecer, Virgínia passa a morar com as irmãs e o pai. Nesse ponto, algumas revelações são feitas e a menina decide ir para um colégio interno. 

A partir daí, entramos na segunda parte do livro com Virgínia já adulta. Após concluir os estudos, ela volta para a casa do pai. As coisas estão mudadas, porém, Virgínia ainda carrega alguns sentimentos do passado. Porém, com seu amadurecimento, ela encara a realidade e as pessoas, que até então, eram perfeitas. 



Ciranda de Pedra é uma obra carregada de sentimentos e profundamente forte. A evolução da personagem é bastante clara e bem construída. Através dos conflitos de Virgínia, lidamos com diversos temas que atravessam nosso dia a dia, e o ambiente de qualquer família. Adultério, homossexualismo, doenças psíquicas, entre outros. 

Apesar de a trama trazer uma história forte, de conflitos familiares, a escritora o fez de tal forma, que a leitura se torna única.


“Começa hoje mesmo a vida que te resta.”


Lygia também demonstra em sua obra, personagens que aparentam serem felizes e seguros de si, mas que, no fundo não é bem assim, são frágeis e possuem suas inquietações, como todo ser humano, tem seu lado bom e o seu lado ruim. 

Achei o livro maravilhoso, profundo e sensível! Sobre a vida e seus infortúnios. Eu me emocionei em diversos momentos! Não tem como não gostar de Virgínia e se redescobrir com a personagem. 

O final, eu idealizei de uma forma e acabou sendo de outra, mas posso dizer que é um desfecho digno de Lygia Fagundes Telles! 

Um livro para carregar na memória e no coração para sempre! 

Vale ainda ressaltar que, Ciranda de Pedra foi usado duas vezes como base para telenovelas homônimas da Rede Globo, a primeira de 1981 e a segunda de 2008.


Beijos e até a próxima!

10 comentários:

  1. Oi Fê
    Ótimo post!
    Sou fã da escrita da Lygia e ainda não li este livro, mas está na minha lista também.
    Lembro da primeira versão da novela.
    Adorei as fotos também
    Bjs
    Clauo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clauo!

      Também sou fã da Lygia e este é uma leitura bastante prazerosa, leia sim.
      bjs

      Excluir
  2. Meus tipos favoritos de livros são esses divididos em tempos. Adorei sua resenha e confesso que não conhecia esse livro. E também não vi as novelas, mas com a nova edição da Rocco, quem sabe eu leio?

    ResponderExcluir
  3. Oii Fernanda. Eu me lembro bem das novelas de Ciranda de Pedra, mas nunca tinha me interessado muito em ler o livro. Contudo, ao ler sua resenha percebo que foi um equívoco ja que a série aborda assuntos que gosto na literatura em geral. Amei saber mais do livro.
    Beijos.

    Blog: fanficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jess, eu não lembro muito da novela, até gostaria que reprisasse, agora que li o livro.
      Leia sim, se tiver a oportunidade.

      Excluir
  4. Oie
    Adorei sua resenha. Ainda não conhecia esse livro, mas já li outra obra dessa autora (que não me recordo o nome agora kk) e que eu gostei bastante. Gostei da premissa desse, adoro narrativas onde a protagonista(o) começa criança e depois passa para a fase adulta no livro, deve ser interessante. Dica anotada.
    Bjos,Bya! 💋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bya
      também adoro livros que dão essa passagem no tempo. Recomendo muito esse!

      Excluir
  5. Oi Fê,
    Ainda não li nada da autora e sua resenha fez eu querer correr para ler. Parece ser uma leitura deliciosa, sensível e repleta de reflexão. Adoro quando a narrativa se divide em dois tempos e conhecemos de forma mais profunda o protagonista, e fiquei super curiosa em conhecer mais sobre Virgínia. Adorei saber que o desfecho te surpreendeu, melhor coisa quando esperamos algo e vem outro.

    Ótima resenha, pretendo ler esse livro em breve.
    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo