27 dezembro 2017

[Resenha] O Rouxinol


O ROUXINOL
Autora: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 432
Skoob


Sinopse: França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes.Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva.
Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.
Seguindo a trajetória dessas duas grandes mulheres e revelando um lado esquecido da História, O rouxinol é uma narrativa sensível que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do fronte.
Separadas pelas circunstâncias, divergentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um tortuoso destino em comum: proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra – e talvez pagar um preço inimaginável por seus atos de heroísmo.




Mesmo sem ter lido ainda a sinopse, já pela capa, e sendo de uma das minhas autoras favoritas, O Rouxinol logo entrou para minha lista de leituras. 

A história é dividida em dois tempos: o ano de 1995 e o período compreendido entre agosto de 1939 e maio de 1945. 



O começo é narrado por uma senhora que está vendendo a casa da família, para ir viver em um lugar mais tranqüilo. Em meio à mudança, muitas lembranças começam a florescer. 

"Feridas cicatrizam. O amor perdura." 

De volta ao passado, na França de 1939, temos a história de Vianne e Isabelle, duas irmãs com personalidades e atitudes diferentes frente a Segunda Guerra Mundial. Cada uma reagindo e lutando a seu modo. 


Isabelle é de uma personalidade atrevida e impetuosa e Vianne mais contida, parecendo até mesmo tola e fraca. Confesso que comecei o livro não simpatizando com Vianne, mas seu crescimento é tão grande que se torna marcante demais. 



As irmãs tomam caminhos diferentes, Isabelle irá lutar pela liberdade de seu povo e de seu país e Vianne tentara a todo custo proteger sua família e a todos que ama. 

Fui totalmente envolvida pela dor e luta das irmãs. Toda crueldade infligida durante a guerra é bastante intensa durante o livro. Me vi emocionada por diversas vezes. Não tem como descrever todo sentimento que passei. 



O Rouxinol é um livro lindo e carregado de emoções. Amo romance com tema de guerra e com certeza foi uma época devastadora e com perdas irreparáveis. A autora passa todo esse cenário em cada página. O final é arrebatador e com certeza se tornou um dos meus favoritos. 

Recomendo a todos!!! 

“Se há uma coisa que aprendi nesta minha longa vida foi o seguinte: no amor, nós descobrimos quem desejamos ser; na guerra, descobrimos quem somos”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo