03 setembro 2017

[Resenha] Mary Poppins


MARY POPPINS
Autor: P. L. Travers
Editora: Cosac Naify
Ano: 2014
Páginas: 192
Skoob


Sinopse: Uma das histórias mais amadas por crianças e adultos do mundo todo, Mary Poppins volta para as prateleiras brasileiras. O texto recebeu ilustrações do estilista Ronaldo Fraga, tradução do escritor Joca Reiners Terron e posfácio da professora de literatura inglesa da USP Sandra Vasconcellos. Os desenhos – verdadeiros croquis de moda –, foram bordados à mão em tecido, e fotografados para integrar a edição. A edição especial conta ainda com uma luva em formato de bolsa, com estampa exclusiva desenhada por Ronaldo Fraga. O leitor vai, finalmente, descobrir a história de Mary Poppins, a babá mágica que chega inesperadamente para cuidar das crianças Banks e lhes abre os olhos para os mistérios e as maravilhas que nos cercam, todos os dias.




Olá!!

Hoje é dia da resenha do Desafio Cultura e o tema da vez é um livro que tenha virado um musical. Minha escolha foi pela obra Mary Poppins, um clássico da literatura e que remete, inevitavelmente à infância.




Primeiro quero falar que a personagem Mary Poppins do romance de P. L. Travers difere um pouco da personagem do filme; possui uma personalidade, podemos dizer, menos cortês e um tanto rude às vezes. Aliás, o livro difere bastante do filme.

O romance foi publicado pela primeira vez em 1934 e em 2014 a Editora Cosac Naify lançou esta nova edição com lindas ilustrações de Ronaldo Fraga. Eu, particularmente, adorei o resultado, principalmente a ideia de bordarem os desenhos, o que permite que o leitor acompanhe a história visualmente também.


Lembrando que a Disney fez uma adaptação cinematográfica deste livro em 1964 e, em 2004 houve um musical em Londres baseado no filme.




A narrativa gira em torno da nova babá da família Banks. O casal  procura alguém para cuidar dos filhos Michael, Jane e os gêmeos John e Bárbara, que são bastante temperamentais, é ai que surge, vindo de um vento forte do Leste, Mary Poppins!

"E então a silhueta inclinada se lançou sob a ventania, abrindo a cancela do portão e eles puderam perceber que era uma mulher, que segura um chapéu com uma das mãos, e com a outra carregava uma mala"

Mary Poppins se apresenta como uma babá bastante competente no trato com as crianças e diante de um mundo de fantasia e muito mistérios, eles passam a gostar de suas aventuras. E claro, estão sempre muito curiosos pelas artimanhas vividas com a moça.

A história é uma velha conhecida de muitos, mas volto a salientar a grande diferença entre a verdadeira Mary Poppins e a da Disney. Aqui, ela se apresenta como um figura um tanto mandona, ácida e muito vaidosa. E não se esforça nem um pouco para ser agradável e carinhosa com as crianças, respondendo até mesmo com certa rispidez em algumas partes.



Apesar dessa discrepância na personalidade da babá, a história em si é fascinante e mágica, ainda mais pela própria criatividade de Mary e das crianças.

A história  também passa vários ensinamentos para as crianças, além de inevitavelmente, abordar alguns assuntos sérios, como o descaso de alguns pais, isso é muito claro na narrativa. 

A edição está belíssima e o final é muito bonito. Mas não posso negar que entre o filme e o livro, dessa vez fico com o filme.

E vocês? Já leram ou assistiram? O que acharam?





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo