10 setembro 2017

[Resenha] A Hora da Estrela


A HORA DA ESTRELA
Autora: Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano: 2008
Páginas: 88
Skoob


Sinopse
A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo por seu autor, o escritor Rodrigo S.M. (um alter-ego de Clarice Lispector), de um modo que os leitores acompanhem o seu processo de criação. À medida que mostra esta alagoana, órfã de pai e mãe, criada por uma tia, desprovida de qualquer encanto, incapaz de comunicar-se com os outros, ele conhece um pouco mais sua própria identidade. A descrição do dia-a-dia de Macabéa na cidade do Rio de Janeiro como datilógrafa, o namoro com Olímpico de Jesus, seu relacionamento com o patrão e com a colega Glória e o encontro final com a cartomante estão sempre acompanhados por convites constantes ao leitor para ver com o autor de que matéria é feita a vida de um ser humano.





Olá!!!

A resenha de hoje é do Desafio Cultura do qual participo. O tema da vez seria um livro lançado no ano em que nasci, por isso escolhi A Hora da Estrela, de Clarice Lispector.

O livro foi escrito por Clarice em um momento que ela enfrentava um câncer e foi concluído um pouco antes de sua morte. Curiosamente, diferente da maioria de suas outras obras,  aqui teremos um narrador masculino, Rodrigo S. M. 


"Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse sempre a novidade que é escrever, eu morreria simbolicamente todos os dias.”


A história a ser contada é da nordestina Macabéa, uma mulher um tanto feia e alienada, que se muda para o Rio de Janeiro após a perda de sua tia e ela se encontra à própria sorte.




Macabéa trabalha como datilógrafa e em suas horas livres passa ouvindo a Rádio Relógio e nesses momentos ela viaja em seus sonhos de ser uma estrela. Não demora muito ela se apaixona por Olímpio de Jesus, que é metalúrgico e nordestino também. Só que ele a trai com uma colega de serviço de Macabéa.

Após uma desilusão amorosa e orientada por essa colega, Macabéa resolve ir a uma cartomante. A consulta enche nossa protagonista de esperança e sonhos, pois é previsto para ela um futuro brilhante e um novo amor. O que acontece é que realmente ocorre um fato após Macabéa sair da cartomante e por ironia do destino, pela primeira vez, ela acaba mesmo sendo o centro das atenções de maneira trágica.

Como em toda obra de Clarice a interpretação do que lemos não é nada fácil, pois a reflexão e a análise é bastante profunda, a autora não nos entrega um texto pronto, por isso alguns leitores podem não se adaptar ao estilo. Clarice tem o dom de nos levar a uma crise existencial!


"O fato é um ato? Juro que este livro é feito sem palavras. É uma fotografia muda. Este livro é um silêncio. Este livro é uma pergunta."


Embora seja uma história muito simples, Clarice utiliza-se de uma linguagem que ao mesmo tempo é poética e repleta de metáforas e através da vida de Macabéa, ela nos leva à questões sobre nossa existência e nosso papel na sociedade em que vivemos.

Outro ponto, nosso narrador descreve a história da nordestina e ao mesmo tempo reflete seus próprios pensamentos e suas inquietudes. Há diversos momentos assim durante a leitura.



Enfim, A Hora da Estrela, vai fundo no universo humano, na tristeza, na solidão e nas dificuldades que enfrentamos.  

Eu recomendo para aqueles que gostam de leituras profundas e reflexivas. 

A obra ganhou um filme homônimo nacional em 1985.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo