24 setembro 2017

[Resenha] Dom Casmurro


DOM CASMURRO
Autor: Machado de Assis
Editora: Paulus
Ano: 2002
Páginas: 190
Skoob


SinopseMachado de Assis (1839-1908), escrevendo Dom Casmurro, produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de “olhos oblíquos e dissimulados”, de “olhos de ressaca”, Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado. Há quase cem anos os estudiosos e especialistas o esmiúçam, o analisam sob todos os aspectos. Em vão. Embora o autor se tenha dado ao trabalho de distribuir pelo caminho todas as pistas para quem quisesse decifrar o enigma, ninguém ainda o desvendou. A alma de Capitu é, na verdade, um labirinto sem saída, um labirinto que Machado também já explorara em personagens como Vigília (Memórias Póstumas de Brás Cubas) e Sofia (Quincas Borba), personagens construídas a partir da ambiguidade psicológica, como Jorge Luís Borges gostaria de ter inventado.




Olá!!!

Hoje a resenha é pelo Desafio Cultura que participo. Como o tema da vez seria um livro com um triângulo amoroso, escolhi um dos meus clássicos favoritos: Dom Casmurro!

Em Dom Casmurro, obra esplêndida de Machado de Assis, temos a criação de Capitu, a menina dos olhos " de ressaca, oblíquos e dissimulados", e juntamente com ela, Machado nos legou um dos mais maiores e mais indecifráveis mistérios da literatura, houve ou não traição?



Logo no começo da obra vamos conhecer Bento Santiago, o Dom Casmurro, e ele começa a narrativa contando de onde veio esse apelido. Bentinho então, irá nos contar sua história, desde sua infância quando ele iria para um seminário e se tornaria padre, devido a uma promessa feita por sua mãe. No entanto, sem vocação e angustiado, Bentinho corre ao encontro de Capitu, sua vizinha e amiga desde muito cedo. 

Apesar de toda ajuda que Capitu tenta dar ao amigo, ele acaba indo para o seminário. Mas antes de ir, Bentinho promete a menina que vai voltar e se casar com ela.


“Capitu derreou a cabeça, a tal ponto que me foi preciso acudir com as mãos e ampará-la, o espaldar da cadeira era baixo. Inclinei-me depois sobre ela rosto a rosto, mas trocados, os olhos de uma na linha da boca do outro. Pedi-lhe que levantasse a cabeça, podia ficar tonta, machucar o pescoço. Cheguei a dizer-lhe que estava feia; mas nem esta razão a moveu.
-Levanta, Capitu!
Não quis, não levantou a cabeça, e ficamos assim a olhar um para o outro, até que ela abrochou os lábios, eu desci os meus, e...
Grande foi a sensação do beijo”.



Durante o tempo em que Bentinho fica fora, Capitu se aproxima bastante da mãe dele. Dona Glória passa a ver a menina de outra forma e começa a levantar a possibilidade de um outro futuro para seu filho.

No seminário Bentinho conhece Escobar, o qual se torna seu amigo e quem no fim, acaba dando uma solução para a promessa feita por Dona Glória.




Com essa aproximação, Escobar acaba conhecendo Capitu. Bentinho vai para São Paulo finalizar seus estudos e quando retorna cumpre sua promessa e se casa com a moça. Ao mesmo tempo, Escobar também se casa com uma amiga de Capitu e os quatro dão início a uma amizade e convivência intensa.

Com o passar do tempo, Bentinho começa a levantar pensamentos sobre sua esposa e seu melhor amigo e as coisas só pioram quando Capitu dá à luz a Ezequiel.

"Os instantes do diabo intercalavam-se nos minutos de Deus, e o relógio foi assim marcando alternativamente a minha perdição e a minha salvação."

A história de Machado de Assis é um dos meus clássicos favoritos, uma obra completa em todos os sentidos. A trama bem elaborada pelo autor nos deixa até hoje com um imenso ponto de interrogação sobre a fidelidade ou não de sua personagem.



Ao mesmo tempo ele nos apresenta um Bentinho um tanto ambíguo,  o que levanta outra dúvida quanto sua sanidade e seus pensamentos diante de Capitu. E com isso, temos somente sua versão dos fatos para nos basear. Seria o ciúmes um vilão tão gigante que poderia colocar coisas onde não existiam na verdade? Fica ai a dúvida.


"Agora, por que é que nenhuma dessas caprichosas me fez esquecer a primeira amada do meu coração? Talvez porque nenhuma tinha os olhos de ressaca, nem os de cigana oblíqua e dissimulada."


Se Capitu traiu o não é a grande questão, cada leitor terá sua opinião e seu julgamento final, ou seja, o autor passou para nossas mãos essa conclusão.

Eu particularmente, acho que foi tudo fruto de uma imaginação doente no ciúmes, no entanto, ainda, às vezes, me deparo com a dúvida. rs.

E vocês? Já leram Dom Casmurro? O que acham?



2 comentários:

  1. Oii Fernanda. Tudo bem?
    Eu ainda não li Dom Casmurro por completo mas quando completar a obra também será por conta do desafio literário. Gostei bastante da sua resenha e sinceramente acho que ela traiu. Dizem que quando amamos de mais ficamos com medo de perder a pessoa amada e também vendo coisas que não existem. Mas pelo andar da carruagem no começo do livro Bentinho parece ser são e para ele mudar tanto imagino que exista um motivo.
    Beijos.

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  2. Primeira vez aqui em seu blogue, e obvio, não consegui não ficar nesse post porque li Dom Casmurro várias vezes e amo o Bentinho e sua insanidade. A maneira como se pune por desejar a morte da mãe. Eu sempre achei a Capitu parecida com a mãe dele e sempre enxerguei uma espécie de transferência em Bentinho. Adoro a maneira como Machado molda seus personagens, mas confesso que o ritmo dele me aborrece um pouco. É tudo tão lendo e demorado e eu que sou ansiosa, mesmo depois de tantas leituras, quero que tudo se dissolva.
    Acho que sou uma das poucas pessoas que não liga para o questionamento levantado sobre Capitu. Para mim é totalmente irrelevante. É apenas mais um desdobramento da mente conturbada da personagem e seu conflitos humanos.

    Agora vou conhecer seu blogue porque já vi que vou alimentar meu olhar por aqui.
    Adoro quando descubro novos horizontes com os quais me enncatar.

    bacio

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo