22 julho 2017

[Resenha] O Velho e o Mar


O VELHO E O MAR
Autor: Ernest Hemingway
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2011
Páginas: 130
Skoob


SinopseEssa é a história de um homem que convive com a solidão do alto-mar, com seus sonhos e pensamentos, sua luta pela sobrevivência e sua inabalável confiança na vida. Esse é o fio do enredo - fio tenso como o que prende na ponta da linha o grande peixe que acaba de ser pescado - com o qual Hemingway arma uma das mais belas obras da literatura contemporânea.Há 84 dias que Santiago, um velho pescador, não apanhava um único peixe. Por isso já diziam se tratar de um salao, ou seja, um azarento da pior espécie. Mas Santiago possui têmpera de aço, acredita em si mesmo, e parte sozinho para o mar alto, munido da certeza de que, desta vez, será bem- sucedido no seu trabalho.




Olá!!

A resenha de hoje é a primeira de um desafio que estou participando com alguns Igs Literários  amigos (saiba mais na lateral do blog). Com isso até o final do ano será uma resenha por semana dentro de um tema. 

O primeiro livro que li o tema foi o de uma aventura em alto-mar e o meu escolhido foi O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway, que é a história de um velho pescador solitário e sua grande aventura.



Santiago, nosso protagonista, não pesca um peixe há mais de 80 dias e assim passa por um constrangimento entre os pescadores. Além disso, ainda tem o pai do jovem Manolin, seu amigo e ajudante de pesca, que vai levar o garoto para trabalhar em outro barco com  uma sorte maior.

Após ser rotulado como um azarento na pesca, Santiago, decidido e acreditando em sua vasta experiência, parte sozinho para o alto-mar, disposto e com a certeza que esse será o seu melhor dia de sorte.

"Agora não é o momento de pensar naquilo que você não tem. Pense antes no que pode fazer com aquilo que tem."

E é assim que vamos acompanhar a aventura de Santiago ao pescar o maior peixe de sua vida. Uma grande aventura sim, pois o peixe de tamanho descomunal, oferece inusitada resistência para ser resgatado. E vai precisar de toda experiência e paciência do velho.



Pode, à princípio, parecer uma história boba de um pescador e seu peixe, mas na verdade o livro trata-se de uma enorme metáfora de como é nossa relação com a vida, ou seja, deve ser lido nas entrelinhas.

Santiago quer muito o peixe, que seria a mudança de sua sorte, mas ele resiste. Com isso, o pescador passa dias e noites tentando pegar o peixe, esperando que ele se canse para enfim, matá-lo. Seria a busca por nossos objetivos, seja qual for as barreiras impostas e se estamos realmente preparados para essa busca.

"Um homem pode ser destruído, mas não derrotado."

Em poucas páginas, com uma linguagem simples, o autor nos envolve completamente em lições de vida, não somente na questão do pescador e do peixe, mas uma questão mais ampla, que serve para qualquer um de nós.

A mensagem principal é o desafio, que todo ser humano quer superar e dá o máximo de si para conseguir seus ideais, aquilo que lhe dará a vitória de ser reconhecido e a própria satisfação. E quem não quer isso? 

E claro, acreditarmos em nós mesmo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo