27 julho 2017

[Entrevista] Thaylane R. Ramos


Olá, leitores!


No post de hoje, o Blog Conduta Literária traz uma entrevista especial com a autora parceira do blog Thaylane R. Ramos!


Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ela?!





1. Quem é Thaylane R. Ramos?

Antes de te responder, gostaria de agradecer ao seu Blog pela oportunidade e pelo apoio ao meu trabalho, e em nome de toda literatura nacional dizer que esse tipo de espaço é muito importante para todos nós, escritores, leitores, blogueiros e todas as pessoas envolvidas na construção de um livro. Juntos podemos instigar a valorização dos autores brasileiros e eu, particularmente, agradeço muito por isso.

Bom, desde cedo fui uma garota que sempre adorou o universo dos livros, leio desde muito jovem e crio histórias na minha cabeça a todo o tempo sob qualquer situação. Eu sou uma típica nerd que ninguém vai dizer que sou até me conhecer rs, eu sempre preferi programas calmos ao invés das baladas da madrugada, me encantam bibliotecas, teatros, museus, arte em geral, gosto muito de coisas assim. Eu também adoro videogames, universo das HQ's, documentários de História (amo mesmo!), tocar violão, cantar...! E claro, como não podia deixar de ser, ler muito, leio livros de todos os gêneros, posso dizer que sou uma eclética literária hehehehehe.

Eu também sou formada em Administração de Empresas e trabalho na área, adoro atuar na área dos negócios, sempre gostei do ambiente empresarial, então posso dizer que faço duas coisas que amo, escrever e administrar! Adoro estar com a minha família e assistir filmes e séries, outro vício que tenho há tempos e minha família me acompanha nisso. Quanto à música, eu adoro Rock, Pop, Hip Hop, Eletrônica, e pasmem...! Música clássica e erudita, Beethoven e Mozart são demais, gente!



2. Quando e como começou a escrever?

Escrevi minha primeira história quando eu tinha onze anos de idade, eu estava no colégio e por um tempo fiquei viciada em frequentar a biblioteca de lá todos os dias, ela tinha acabado de receber uma reforma e os alunos viviam lá. Eu adorava a atmosfera do lugar, dos livros nos rodeando junto ao silêncio quase palpável, muita gente ia lá fazer trabalhos escolares e fugir do tumulto do recreio, eu ia para escrever. Minha primeira estória (que eu escrevi à mão em folhas A4 cor-de-rosa) era de Fantasia, envolvia portais, religião, aventura, etc., mas eu acabei perdendo essa estória e nunca mais escrevi qualquer coisa relacionada à ela. Então chegou um tempo em que eu queria ler algo diferente do que estava acostumada, mas não sabia o quê e nem achava um livro que preenchesse essa lacuna, isso me incomodou e decidi criar uma estória que eu mesma gostaria de ler, três anos haviam se passado desde que eu tinha escrito a minha primeira estória, pensei então em postar os capítulos que eu fosse escrevendo num site para fanfics, mas decidi escrever uma estória original de Fantasia, eu tinha apenas quatorze anos naquela época, então comecei a me arriscar numa estória que envolvesse deuses gregos, mas eu ainda assim queria algo diferente, eu já tinha lido a Odisseia uma vez e me encantei com a mitologia grega, por isso, eu precisava escrever algo envolvendo os deuses. Dois anos depois, lapidando os acontecimentos e inserindo elementos além da mitologia no livro, eu comecei a querer explorar várias crenças dentro do mesmo enredo, então pensei que um livro único não daria para contar toda a jornada que estava na minha cabeça, seria uma série, hoje parece loucura o fato de eu ter começado a escrever direto com uma série, mas não tinha jeito, não para tudo o que eu precisava contar.


3. Como surgiu a ideia de escrever a série "Entre Mundos"? 

Eu queria escrever uma estória que envolvesse várias criaturas mágicas que se encontrassem por algum motivo de força maior, eu já adorava mitologia grega, então eu sabia que os deuses teriam um papel importante no livro. Quando eu comecei a escrever a série Entre Mundos, eu nem sabia que o título dela seria esse, naquela época, minhas ideias ainda eram muito artificiais e simplórias, ao longo do tempo eu fui lapidando de pouco a pouco os acontecimentos, só depois de dois anos eu tive certeza do que queria, misturaria vários universos dentro da nossa realidade, conheci o conceito de Fantasia Urbana (o mesmo de Percy Jackson e tantos outros) e pensei: "É isso, quero escrever fantasia, mas isso tem que passar no nosso mundo, na nossa realidade, com personagens reais que se pareçam conosco", eu também queria trabalhar as inseguranças adolescentes, criar uma atmosfera de mistério e fazer as pessoas se colocarem a todo o tempo no lugar dos personagens principais, mesmo a estória sendo do gênero fantástico, além disso, como eu já sabia que seria uma série, eu queria levar os leitores a acompanharem o crescimento dos personagens a cada livro, ao ponto deles se sentirem tão conectados com eles que sentissem nostalgia ao se lembrarem do início de tudo, era esse sentimento que eu queria causar no final da série, além da comum aflição e ansiedade pelas aventuras, batalhas, discussões e traições, elementos que um livro de Fantasia comumente aborda e todo mundo sabe que vai encontrar.


Resenha de Os Feiticeiros (1º livro da série) aqui



4. Como foi a construção dos personagens e tem algum pelo qual você se identifique mais?

A construção dos personagens foi uma das etapas mais legais de se fazer, eu criei um grupo de quatro jovens que tinha caraterísticas muito distintas entre si e mesmo assim eram amigos, o leitor poderá se identificar com qualquer um deles e isso é o mais legal, principalmente porque eles são reais, com dúvidas reais, inseguranças reais, medos e conflitos corriqueiros, são como nós, mesmo que dentro de um universo fantástico. Tem o personagem mais palhaço, o nerd, a mais tímida, a extrovertida, o bonitão, o poderoso líder, o vilão (é claro!), entre outros. Mas a parte que eu mais curti foi a criação da personalidade dos deuses, foi muito divertido destrinchar cada um deles, e continua sendo hehehehe.



5. Se a série tivesse uma trilha sonora, qual você escolheria?

Ela tem, está em todos os book trailers da série.



6. Tem algum autor(a) que considere uma referência para o seu trabalho como escritora?

Olha, se alguém que elevou minhas esperanças para definitivamente embarcar profissionalmente no mercado literário esta pessoa foi a autora americana Amanda Hocking, escritora de Fantasia que lançou vários livros independentes na Amazon e que alcançou a marca de Best Seller com vários deles, depois dela, a Amazon no Brasil se movimentou muito e de 2014 para cá a literatura nacional ganhou um upgrade considerável em todos os gêneros. E para também destacar uma autora brasileira, é claro, outra que foi referência para mim foi a FML Pepper, da trilogia Não Pare!, acho que ela serviu de inspiração para muita gente aqui.


7. Fale um pouco sobre a carreira de escritora. Algum conselho para aqueles que pretendem seguir esse caminho?

Não desista! Parece clichê, mas não é, todo escritor brasileiro tem que repetir esse mantra para si mesmo todos os dias e lembrar da paixão que o move a escrever. Ser escritor no Brasil é muito difícil, em comparação com outros países, nós quase não temos o costume de ler (isso está mudando, graças a Deus!) no entanto, a Amazon é uma poderosa arma para aqueles que não possuem uma editora por trás, as redes sociais alcançam milhares de pessoas, hoje nós temos muitos recursos para sermos lidos e as pessoas estão lendo mais. Mas ainda assim, como em toda profissão, existem acontecimentos que nos desmotivam e se não tivermos apoio e muita paixão pelo o que fazemos, acabamos desistindo por não saber mais como prosseguir diante de todas as dificuldades. Além disso, todo muito que tem uma ideia na cabeça precisa colocá-la logo no papel e parar de deixar para "o amanhã", você tem que começar hoje, agora se possível, ou nunca fará e poderá perder a oportunidade de mostrar uma ideia maravilhosa para um grande número de pessoas. Mas acima de tudo e de QUALQUER COISA, se divirta! Escreva sobre o que você gosta e não sobre o que está na moda, não para agradar os outros, porque lembra da paixão que eu falei lá em cima? Então, é isso que vai te ajudar a superar as dificuldades e se lembrar do porquê está fazendo isso, então você tem que gostar do que faz, curtir muito a historia que está escrevendo. Sobre dicas mais diretas, eu sugiro que entrem em vários grupos de escritores, vocês não têm ideia do quanto a gente troca figurinha e se ajuda com temas mais técnicos ou até polêmicos do mercado literário. Entre em grupos que permitam divulgação dos livros, isso ajuda bastante também.


8. Deixe um recado para nossos leitores.

Aos leitores do Blog, eu adoraria apresentá-los ao meu mundo e saber suas opiniões à cerca da série Entre Mundos, no final deste mês estarei lançando uma nova edição do primeiro livro lá na Amazon e, a partir de então, lançarei novas edições de todos os outros livros seguintes, também distribuirei marcadores para todos aqueles que deixarem sua avaliação por lá. Será uma honra tê-los como meus leitores também.

Aos meus leitores, vocês são a razão por trás de todo incentivo, emoção e ansiedade que sinto todas as vezes em que sento em frente ao computador e escrevo, muito obrigada por valorizarem o meu trabalho, espero sempre poder entregar histórias fascinantes para vocês que os levem a lutar, sorrir, chorar, odiar e amar. Sem vocês, escritores não poderiam existir e nossos sonhos jamais se tornariam realidade. Que a cada aventura uma nova lição seja aprendida e que o mundo real seja só um plano relativo ao mundo da fantasia. Eu amo vocês!


Muito obrigada, Fernanda, pelo carinho, adorei a entrevista e já quero outros projetos com o Blog hehehehehe, parabéns pelo trabalho lindo que desenvolve e pelo incentivo à literatura nacional. 
Fiquem com Deus, beijos!



Thaylane, o blog agradece pela entrevista! Reiteramos nossa admiração pelo seu trabalho e lhe desejamos muito sucesso !!!


4 comentários:

  1. Curti bastante a entrevista, não conhecia a autora e acho interessante poder saber um pouco mais sobre quem está por detrás dos livros, antes de lê-lo.

    www,doceetsranheza.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ótima entrevista, recheada de perguntas boas! Não conheço ainda o trabalho dela :O mas adorei saber sobre os personagens, bem diversificados nas personalidades! Que demais encarar de cara uma série de livros assim! E gostei das dicas que ela deu também para quem quer ser escritor! Parabéns pelo post ♥

    https://eueminhaestupidez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a autora e também não conheço a série que ela escreveu, mas achei bem interessante a entrevista e é uma ótima iniciativa a sua, de apresentar autores novos dessa forma, parabéns.

    https://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. oiiie

    eu amo entrevistar e ler entrevistas. É sempre legal conhecer mais autores. Ela, por exemplo, eu não conhecia e fiquei super interessada em seus livros :)

    Beijos

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo