20 junho 2017

[Resenha] Menina Má


MENINA MÁ
Autor: William March
Editora: DarkSide Books
Ano: 2016
Páginas: 272
Skoob


Sinopse: Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.
Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.




Hoje vamos falar sobre um clássico do suspense/terror. Publicado pela primeira vez em 1954, Menina Má, fez muito sucesso e causou muita polêmica na época. 


Agora reeditado pela editora DarkSide, o livro aborda a Psicopatia Infantil. “Psicopatia” que por si só já é um assunto tenebroso, imagina se o psicopata for uma criança? 


Rhoda, uma linda garotinha de oito anos que é tida por todos como uma criança adorável, que encanta e faz sua melhor carinha quando quer alguma coisa. Porém, madura para idade, perfeccionista e muito dissimulada; sua frieza chega a assustar.


A única que parece enxergar Rhoda como ela é, é sua mãe Christine. As duas vivem a maior parte do tempo sozinhas, pois o pai de Rhoda viaja muito a trabalho. 

Depois de um piquenique da escola, onde um menino da sala de Rhoda morre de forma estranha, a mãe começa a notar, mais detidamente, o comportamento extremamente frio da filha. Além disso, a escola sem maiores explicações exige o afastamento da garotinha. 



"Por que deveria me importar? Foi Claude Daigle que se afogou, não eu." 

Atordoada com os acontecimentos e desconfiada, Christine resolve investigar sobre a morte do menino. Com várias descobertas assombrosas e o surgimento de outros acontecimentos, a mãe começa a sentir medo da própria filha.




A história é perturbadora! Eu senti extrema agonia em vários momentos. A escrita é muito detalhada e o autor nos leva a reviravoltas surpreendente


O livro traz uma história “macabra”, por apresentar uma criança psicopata. Causa-nos surpresa saber que, desde tão cedo, instintos tão primitivos de maldade podem se manifestar; mas, ao mesmo tempo, nos desperta a vontade de conhecer mais, aprofundar-se no assunto. 



"Ela prometeu me dar a bola de cristal quando morresse. Agora é minha, não é?" 


Com uma leitura mais profunda, a obra impressiona pela frieza da personagem, os conflitos gerados e, principalmente, pelo lado psicológico da perversidade humana. 

Outro ponto levantado consiste no dilema enfrentado pela mãe: a necessidade de escolher entre proteger sua filha ou o mundo. O que uma mãe poderia fazer diante desse cenário? Que atitude tomar? 

"Rhoda nunca foi desobediente, preguiçosa ou petulante, como algumas crianças são. Ela tem tantas qualidades. Só que tem esse probleminha; essa peculiaridade de caráter." 




Menina má é o tipo de livro que, mesmo passando anos, ainda vai te angustiar e envolver.


A história foi adaptada para o cinema em 1956 e indicado a quatro prêmios do Oscar, incluindo o de melhor atriz para Patty McComarck, que interpretou Rhoda.

Outra vez quero parabenizar a DarkSide, que mostrou excelência em seu trabalho. A edição em capa dura, fita marca páginas e ilustrações, são maravilhosas!

Indico o livro para aqueles que têm interesse em leituras do gênero, e os curiosos pelo assunto.



9 comentários:

  1. Olá, desde que a Darkside lançou esse livro eu tive vontade de ler apesar de que esse livro não seja o meu gênero e eu vou sair completamente da minha zona de conforto

    ResponderExcluir
  2. Oi! Tudo bem?

    Menina, você não sabe como eu amo a Darkside. Eles só publicam livros que eu fico muito empolgada para ler e as versões são sempre maravilhosas, com ilustrações, capa dura e por aí vai. Quero muito ler Menina Má, e acredito que seja muito bom, afinal, sua resenha diz muito sobre e já que Hemingway se declarou um fã, quem sou eu para descordar, não é mesmo?! Enfim, os quotes que você colocou me deixou mais contagiada ainda. Adorei - mesmo - sua resenha :)

    Beijos!
    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    ResponderExcluir
  3. E essa capa que pisca? AMEI!!!!
    Eu tenho esse livro mas ainda não consegui tempo pra ler!
    A edição como sempre maravilhosa. Não sabia que ele era tão antigo assim!!
    Sua postagem ficou LINDA!

    Beijos
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
  4. Puxa Fê tenho bastante curiosidade dessa obra, mas não consegui ler ainda.
    Acho que a protagonista ser uma criança nesse gênero é realmente muito raro e garante uma história no mínimo peculiar!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Adorei o gif da menina abrindo e fechado os olhos haha eu tenho esse livro aqui! mas voce me fez ficar com vontade! Acho que lerei mes que vem! Só vejo comentários bons sobre ele e adoro temas assim.
    Beijos, Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br
    Insta: http://instagram.com/blogliterarte

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Adorei o post e a resenha, a DarkSide sempre arrasa, não é? Amei os detalhes estéticos, massss uma resenhista em que confio muito por termos os gostos similares me deu a impressão que esse livro não iria me satisfazer. Mas adorei o seu ponto de vista sobre a obra ;)

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  7. Olá Fê! tudo bem?
    Eu já havia visto resenhas bem positivas desse livro, tanto que ele já está na minha wishlist e meta. Gênero e tema me agradam muito, acho que não vou me decepcionar com a obra. Suas resenhas são maravilhosa <3
    Beijos.
    PS: as edições da DS são lindas <3
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir
  8. Oi Fê tudo bem?
    Eu quero muito ler o livro e assistir ao filme, mas não encontro boas promoções para ele, o livro, e não queria assistir o filme antes de ler entende?
    Eu adoro uma história profunda e mesmo que haja alguns momentos perturbadores e agonizantes, não sei se isso seriam motivos para me fazer desistir da leitura. A história me lembrou um pouco o contexto de a órfã e caso 39. Vejo que histórias com crianças psicopatas tem se tornado algo normal para muitos mas para mim ainda é algo um pouco inusitado.
    Enfim, quero ler para ontem!

    beijinhos!
    http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Camila.

      Eu entendo, também prefiro ler o livro antes de assistir o filme.
      Também gosto muito de histórias fortes e profundas, acho que até mesmo que as mais leves. Eu gosto de leituras que mexam com minhas emoções.
      Você falou certo, faz lembrar sim, o contexto de A órfã e Caso 39. Apesar de ler muito sobre o tema da psicopatia, eu ainda fico muito impressionada com é com crianças.
      Leia esse sim!
      bjs

      Excluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo